Skip to main content
Bandeira tarifária de energia

Bandeira tarifária de energia elétrica: como ela influencia na sua conta de luz?

Quem nunca se perguntou por que o valor da conta de luz oscila tanto ao longo do ano? Os mais observadores devem ter percebido que o valor do quilowatt-hora sofre variação de um mês para o outro. Isso ocorre porque a bandeira tarifária muda de acordo com as condições para geração de energia elétrica até sua chegada às unidades consumidoras. Mas, afinal, o que é bandeira tarifária de energia?

 

BANDEIRA TARIFÁRIA DE ENERGIA: ENTENDA O QUE É E COMO FUNCIONA

Em 2015 a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) instituiu o sistema de bandeira tarifária para taxar o valor do quilowatt-hora. Isso foi necessário em função das circunstâncias mais ou menos favoráveis para a produção de eletricidade e tem como consequência um valor extra somado à tarifa-padrão das concessionárias de todo o país. O fator determinante é o nível de chuva e o consequente abastecimento dos reservatórios das usinas hidrelétricas, afinal, 90% da energia elétrica consumida no Brasil provém desse tipo de geração.

Antes da criação das bandeiras tarifárias, as variações de custos eram acumuladas e repassadas ao consumidor após um ano, na forma de reajuste da conta. Entretanto, o novo sistema tornou a cobrança mais transparente e incentiva o consumo consciente de energia elétrica. Todas as concessionárias interligadas ao SNI (Sistema Nacional Interligado) alteram o valor da cobrança pelo consumo de acordo com a bandeira vigente e cabe à Aneel divulgar mensalmente qual será aplicada nos 30 dias seguintes. O valor dessas tarifas é definido anualmente.

Bandeira tarifária de energia

Quando os níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas ficam baixos, pode ser necessário ativar as termelétricas – essa decisão cabe ao Ministério de Minas e Energia –, que demandam maior investimento para funcionarem, aumentando consideravelmente o valor da conta de luz para o consumidor final.

 

ANALISTAS PREVEEM MAIS REAJUSTES NAS CONTAS DE LUZ EM 2018

Os reservatórios das hidrelétricas têm batido recordes negativos, chegando a ficar abaixo dos níveis de 2001, ano em que houve racionamento de água, principalmente nos Estados do Sudeste. Esse fato deixa em alerta especialistas e concessionárias de energia quanto a problemas na produção e na distribuição de energia e o consequente aumento da conta de luz em 2018. Para minimizar esse reajuste, o Ministério da Fazenda estuda ações como o repasse de recursos do fundo setorial Conta de Energia de Reserva (o qual apresenta superávit) e o adiamento do pagamento da energia às geradoras. Mesmo assim, para o próximo ano, a Aneel aprovou um aumento de mais de 40% no valor da bandeira vermelha patamar 2, pois a situação dos reservatórios é alarmante e não há previsão de melhora consistente.

Como o cenário não é muito animador, o problema deve ser encarado com consciência, tomando medidas para reduzir o consumo de energia.

 

LÂMPADAS DE LED, UMA SOLUÇÃO PARA ECONOMIZAR NA CONTA DE LUZ

Trocar as lâmpadas da casa por lâmpadas de LED (Light Emitting Diode) é uma boa alternativa para gastar menos energia. Essas lâmpadas duram até 50 mil horas (duas vezes mais que a média das fluorescentes comuns) e proporcionam cerca de 90% de economia de energia elétrica, pois apresentam maior eficiência energética, ou seja, produzem com 8 watts a mesma luminosidade que uma lâmpada incandescente com 100 watts. [Leia mais sobre como reduzir o valor da conta de luz trocando as lâmpadas comuns por LED.]

Além do menor gasto energético, as lâmpadas de LED não têm mercúrio, portanto, não colocam a saúde humana e a integridade do solo e dos rios em risco quando descartada de maneira incorreta e ainda permite maior controle de intensidade e maior fidelidade das cores.

Bandeira tarifária de energia

OUTRAS MEDIDAS PARA ECONOMIZAR ENERGIA

– Não abra a geladeira “para pensar”, pegue todos os itens de uma só vez;

– Verifique se a borracha da geladeira está com boa vedação;

– Use a máquina de lavar roupa quando ela estiver cheia;

– Troque os eletrodomésticos antigos por novos com o selo Procel (de preferência, categoria A de consumo);

– Tome banhos curtos e em temperatura morna ou fria;

– Acumule as roupas para passá-las de uma vez;

– Limpe o filtro do ar-condicionado regularmente;

– Pinte o interior da casa com cores claras, que refletem melhor a luz.

Bandeira tarifária de energia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *