Skip to main content

Iluminação de emergência: Tudo o que você precisa saber

A iluminação de emergência é de extrema importância para casas e obrigatórios para condomínios. O Jornal dos Condomínios SC esclarece a importância. E entrevista com o Major Charles Alexandre Vieira do Corpo De bombeiros, explica as necessidades e obrigações que deve-se atender.


Imagem Portfólio JotaJota – CEU Empresarial

Conjunto de componentes e equipamentos que proporcionam iluminação adequada para direcionar e permitir a saída segura do público do interior dos edifícios, em caso de queda de energia elétrica, os sistemas de iluminação de emergência dos condomínios são de extrema importância, já que possibilitam, inclusive, que as equipes de salvamento entrem nos locais com alguma referência e iluminação de apoio.

Em Santa Catarina, os sistemas de iluminação de emergência são regulados pelo Decreto Estadual n. 4.909, de 18 de outubro de 1994 e fiscalizados pelo Corpo de Bombeiros Militar, por meio de vistorias normalmente realizadas para a concessão de habite-se ou do alvará de funcionamento.  Segundo o Major Charles Alexandre Vieira, da Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do Corpo de Bombeiros, nestas vistorias são analisados os projetos da edificação, que, por sua vez devem indicar a localização onde as iluminações de emergência serão instaladas.

Além disso, estes profissionais deverão comprovar a instalação e o bom funcionamento dos equipamentos. Entre as disposições do Decreto, há a recomendação para que as fontes de energia não estejam situadas em compartimentos acessíveis ao público, nem tão pouco onde haja risco de incêndio.


Imagem Portfólio JotaJota – CEU Empresarial

Instalação da iluminação de emergência

É interessante se fazer um projeto e averiguar os melhores locais para aplicação da mesma. Sempre instalar em lugares mais altos e fixados a parede para evitar furtos ou extravios. A instalação é bem simples, basta plugar na tomada e fixar nos locais definidos pelo bombeiro, porém em grande quantitativo aconselha se contratar equipe técnica especializada. Após a conclusão da instalação é interessante fazer um teste de acordo com o manual do fabricante.

Manutenção da iluminação de emergência

Esse sistema da edificação necessita de um plano de manutenção específico, que atenda às recomendações dos fabricantes e às diretrizes da ABNT NBR 5674, ABNT NBR 10898 e normas específicas do sistema, quando houver.

Somente utilizar peças originais ou com desempenho de características comprovadamente equivalente. Recomenda-se utilizar produtos com garantia.

Plano de manutenção preventiva:

Periodicidade Atividade Responsável
A cada 15 dias Efetuar teste de funcionamento dos sistemas conforme instruções do fornecedor Equipe de manutenção local
A cada 2 meses Verificar se os fusíveis estão bem fixados ou queimados e, se necessário, efetuar reparos. Verificar led das baterias. Equipe de manutenção local / empresa capacitada


Conheça 3 tipos de luminárias de emergência:

Sinalização Saída LED

A Placa de saída autônoma é uma das sinalização mais importante pois indica a saída mais próxima, facilitando o escoamento das pessoas em casos de emergência. Com iluminação em em LED e funcionalidade autônoma (Acende automaticamente em quedas de energia), proporciona segurança em qualquer situação de risco.

Blocos autônomos

Indicados para ambientes maiores, possuem um fluxo luminoso (Lúmens) maiores. Estes equipamentos chegam a iluminar aproximadamente 400m², como galpões, Condomínios, garagens, escadas, saídas de emergência entre outros. Com baterias de grande durabilidade proporcionam o alto índice luminoso em casos de queda de energia, auxiliando também na saída de emergência

Luminária de emergência

Com baixo custo  e fluxo luminoso (Lúmens) menores, as luminárias de emergência são ideais para condomínios  que necessitam de economia. 
Com fluxo luminoso necessário, auxilia em casos de emergência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *